Maputo, 10 de Setembro de 2021 – Uma consistente delegação de Moçambique, composta por 4 representantes do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (MADER) e 5 empresários do sector hortofrutícola (AGRO-PECUÁRIA FRUTAS DO REVUÈ Company, Cooperativa Frutas de Báruè, Tigre de Ouro Company, Cooperativa Orgânica de Manica, Horfpec Nampula), participou na edição de 2021 da MACFRUT, que terminou na quinta-feira, 9 de Setembro, em Rimini. A presença na feira, garantida no African Pavillion com um stand dedicado a Moçambique, e o programa de visitas da visita de estudo foram possíveis graças ao apoio da Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento e à organização da UNIDO (United nations industrial development organization).

Durante o evento de 3 dias, um intenso programa de encontros com compradores internacionais, investidores, instituições regionais e parceiros comerciais permitiu aos membros da delegação conhecer aprofundadamente as realidades produtivas italianas do sector, com o objectivo de desenvolver parcerias a vários níveis e estimular o crescimento das mais promissoras empresas moçambicanas de frutas e produtos hortícolas. Ao mesmo tempo, os representantes do MADER visitaram o centro agro-alimentar de Rimini e o mercado grossista de Cesena, bem como aprender mais sobre a inovação e os serviços de qualidade oferecidos pela região de Emilia-Romagna durante uma reunião dedicada. O objectivo das diferentes visitas foi reforçar as competências e capacidades do MADER com vista à realização do Centro Agro-alimentar de Chimoio, na Província de Manica, onde a Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento está envolvida na reconstrução pós-ciclone IDAI.

A visita ao MACFRUT faz também parte da iniciativa MAIS VALOR, financiada pela AICS Maputo e implementada pela UNIDO, que, entre outros objectivos, visa facilitar o acesso a tecnologias sustentáveis, com vista a melhorar a qualidade dos serviços oferecidos e todo o sector das frutas e produtos hortícolas em Moçambique. O desenvolvimento sustentável das cadeias de valor agro-alimentar constitui o tema central do projecto, e é a chave para a adopção de boas práticas, tanto no campo como nas actividades pós-colheita, incluindo serviços de integração da cadeia de abastecimento, optimização logística e certificação de qualidade.

O resultado final é decididamente positivo: foram visitados 2 centros agro-alimentares e 1 empresa cooperativa especializada nos principais produtos hortofrutícolas italianos, foram realizadas 12 reuniões B2B e foi garantida a presença na feira com uma imagem renovada de Moçambique, que juntamente com outros países africanos se apresentou como uma oportunidade de investimento e parcerias comerciais. Um agradecimento também à Embaixada da Itália em Maputo pelo suporte dado ‘a delegação tendo em vista a visita.

AICS Maputo, em parceria com o MADER e uma vasta gama de parceiros locais e internacionais, tem vindo a apoiar o desenvolvimento rural em Moçambique há mais de 20 anos, reforçando as competências das instituições locais para uma melhor gestão do território e dos seus recursos, facilitando a construção de sistemas de irrigação, promovendo o investimento privado e os serviços financeiros, apoiando a criação e o funcionamento de associações e cooperativas e, finalmente, contribuindo para aumentar o valor acrescentado dos produtos agrícolas locais, promovendo a sua comercialização.

A UNIDO, com o seu projecto MAIS VALOR, implementa a estratégia de apoio às empresas para que, através da introdução de práticas agro-industriais, possam se integrar em mercados de produtos de qualidade, ser mais competitivas e garantir valor acrescentado ao sector agrícola, em benefício de um país que depende da agricultura para o 80% da riqueza nacional. Os resultados do projecto serão alcançados através de uma abordagem orientada para a cadeia de abastecimento na sua globalidade, integrando e envolvendo actores do sector privado, para que possam se alinhar com as estratégias de crescimento sustentável e inclusivo do governo moçambicano. Os pequenos agricultores, com especial incidência nos jovens e mulheres das zonas rurais das províncias de Manica e Cabo Delgado, serão os principais beneficiários directos do Projecto.