perfil e objetivos

A Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento (AICS) é o braço operativo do sistema de cooperação italiano, que tem sido protagonista na erradicação da pobreza, na redução das desigualdades, na afirmação dos direitos humanos e na promoção da paz em Moçambique e nos países em desenvolvimento.

A relação com Moçambique nasce com o apoio dado pela Itália desde a independência, prossegue durante a guerra civil (1977-1992) e fortalece-se com a paz alcançada e a assinatura dos Acordos de Roma de 4 de Outubro de 1992, onde a Itália (Comunidade de Sant'Egidio, Embaixada e Ministério dos Negócios Estrangeiros) teve um papel fundamental. Desde então, Moçambique tem sido um dos países prioritários que beneficiam da ajuda ao desenvolvimento italiana.

A acção da Itália concentra-se em três principais sectores: educação (ensino universitário e técnico-profissional), desenvolvimento rural (resiliência, cadeias de fornecimento agrícola, energia rural, ambiente) e saúde (formação de recursos humanos, combate ao HIV-SIDA e a doenças não transmissíveis). A estes sectores prioritários, somam-se desenvolvimento urbano e infra-estruturas, e é dado também um destaque especial às questões transversais da boa governança e da igualdade de género. Com um orçamento médio anual de cerca de 20 milhões de euros e graças à presença rica e articulada da sociedade civil e ao importante envolvimento de universidades e institutos nacionais de pesquisa, a AICS em Moçambique financia hoje iniciativas de cooperação num valor total de mais de 200 milhões de euros.

Desde 2016, ano do nascimento da nova Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento, a Sede de Maputo é também responsável pelas iniciativas da Cooperação Italiana no Malawi e Zimbábue.